Sejam Bem-vindos!     Telefones: (62) 3624-4669

Image Alt

  /  Ajuda   /  COMPREENDENDO O NOSSO CHAMADO

COMPREENDENDO O NOSSO CHAMADO

Apóstolo Sinomar Silveira

 

Sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. (Rm 1:14)

Paulo considerou-se devedor do evangelho de Jesus Cristo a todas as pessoas e, não tendo nada do que se envergonhar, entregou-se por completo à pregação do evangelho, não importando que o fossem rejeitar. Em seu clamor, disse o grande evangelista John Knox, que agonizava permanentemente em oração pela salvação dos perdidos de sua nação: “Deus, dê-me a Escócia ou eu morro”. Quando entendermos a seriedade do nosso chamado, não descansaremos até cumprirmos o propósito de Deus nesta terra. Para alguém tornar-se um ganhador de almas é preciso:

· Ter compaixão pelos perdidos – Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! (Fp 2:5-8).

· Capacitar-se biblicamente – Cada um de nós tem a responsabilidade de compartilhar com outros o que Deus fez em nossas vidas e, para tanto, devemos preparar-nos como soldados que manejam bem a palavra da verdade, pois, quando estamos cheios dela, ela se torna uma espada de dois gumes para ser liberada através da nossa boca.

· Ser cheio do Espírito Santo – Isso é muito diferente de crer nele, pois o enchimento do Espírito Santo vem como resultado de uma completa rendição a Ele. Jesus conseguiu mudar o curso da história em apenas três anos e meio, por viver na plenitude do Espírito Santo. É melhor que você viva um dia na plenitude do Espírito do que mil dias em suas próprias forças.

· Ter bom testemunho – Muitos são os que dizem uma coisa e fazem outra completamente diferente, mas a nossa vida deve ser um livro aberto no qual as pessoas lerão nossas ações, independentemente do que digam nossas palavras.

· Imergir na visão – São muitos os que decidiram tomar uma atitude passiva dentro de suas congregações, pensando que, com o seu apoio financeiro, estão contribuindo para o reino de Deus, porém o clamor de Deus é: A quem enviarei e quem há de ir por nós? E nossa resposta deve ser: Eis-me aqui, envia-me a mim (Is 6:8).

Postar Comentário